História e arquivos: fontes documentais e metodologias para a pesquisa histórica

Código M04

Responsável pelo Minicurso:
Patrícia Ladeira Pena Macedo (Professora Doutoranda UFF/UNIRIO)
Daniela Pereira Bonfim (Professora Doutoranda UFF)
Mestranda – UFF (Mestranda – UFF)

Objetivos do Minicurso:
Objetivo geral:
Estabelecer as relações entre documento de arquivo e seu uso como fonte documental.

Objetivos Específicos:
Discutir o conceito de documento no âmbito da Arquivologia e da História;
Apresentar os princípios básicos de tratamento documental;

Planejamento das aulas no Minicurso:

Sessão 1- 03/10: Documentos como fonte: discussões epistemológicas, contextos e possibilidades.
Discussão sobre pesquisa e arquivos, contrapondo os olhares do arquivista e do pesquisador como duas modalidades de abordagem do documento de arquivo, simultaneamente complementares e antagônicas. Apresentaremos os conceitos de documento e contexto arquivístico como forma de explicitar o trabalho do arquivista como o profissional que identifica, descreve e disponibiliza os arquivos para o usuário. A compreensão da lógica do tratamento documental possibilita um enriquecimento ao olhar do historiador sobre os arquivos, na medida em que, compreende a preocupação do arquivista como o profissional que busca disponibilizar por meio dos instrumentos de pesquisa o sentido original do processo de produção dos documentos e dos vínculos estabelecidos entre estes ao longo do tempo.
Ainda nessa sessão, apresentaremos o deslocamento do olhar do documento como objeto de tratamento pelos arquivistas para a abordagem destes como fonte e objeto de análise pelos historiadores. Nesse sentido, apresentaremos elementos de análise da fonte histórica a partir da crítica documental, focalizando na fonte histórica como construção do historiador a partir de suas perguntas, sempre permeadas por uma análise crítica, pois questionar documentos não significa apenas construir interpretações sobre eles, mas também conhecer sua origem e sua relação com a sociedade que o produziu.
Leitura de apoio: CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivo e pesquisa. Resgate: Revista interdisciplinar de Cultura. Campinas, v. 24, n. 2, dez. 2016, p. 5-6.

Sessão 2- 04/10: O pesquisador no arquivo: instrumentos de pesquisa e acesso.
O trabalho do arquivista no tratamento documental é permeado por princípios arquivísticos que visam garantir o seu contexto de produção, os vínculos entre os documentos de uma mesma proveniência e sua autenticidade. A necessidade de garantir a estabilidade destes itens documentais que representam o funcionamento, as atividades e relacionamentos da entidade e/ou pessoa que os produziu representa o epicentro do trabalho arquivístico na elaboração de uma representação desses documentos em instrumentos de pesquisa. Nesse sentido, apresentaremos os princípios básicos utilizados na organização documental utilizados pelos arquivistas com vistas a possibilitar o acesso aos documentos.
Leitura de apoio: JIMERSON, Randall C. Arquivos para todos: a importância dos arquivos na sociedade. Arquivo & Administração. v. 7, n. 2, Rio de Janeiro, jul/dez, 2008.

Sessão 3- 05/10:
Discussão sobre as possibilidades de pesquisas em instituições arquivísticas através da análise de fontes e metodologias, com especial ênfase na documentação sobre História Moderna e América Portuguesa depositada em instituições como Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, Arquivo Nacional do Rio de Janeiro e Arquivo Nacional da Torre do Tombo de Portugal. Leitura paleográfica e análise de fontes documentais e exemplo do uso de da documentação inquisitorial como fonte para a História Social
Leitura de apoio: GINZBURG. Carlo. “O inquisidor como antropólogo: uma analogia e suas implicações”. In: A micro-história e outros ensaios. Rio de Janeiro: Bertrand, 1991, p. 203-214

Metodologia:
O minicurso será dividido em duas partes. A primeira refere-se a uma abordagem teórica, onde se discutirá a relação entre documento de arquivo e fonte histórica, os conceitos e qualidades do documento de arquivo, assim como os princípios básicos arquivísticos para a organização e disponibilização dos acervos documentais. O segundo momento apresenta-se a discussão sobre as possibilidades de usos das fontes documentais, o estabelecimento de uma tipologia de fontes para a pesquisa historiográfica bem como o exame e análise de documentos (Séculos XVI –XVIII) em que noções de paleografia serão apresentadas para que possam ser instrumentalizadas para a atividade de pesquisa em História.

Bibliografia:

  • CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Arquivo e pesquisa. Resgate: Revista interdisciplinar de Cultura. Campinas, v. 24, n. 2, dez. 2016, p. 5-6. Disponível aqui. [Acesso em 17 jun. 2017].
  • GINZBURG. Carlo. “O inquisidor como antropólogo: uma analogia e suas implicações”. In: A micro-história e outros ensaios. Rio de Janeiro: Bertrand, 1991, p. 203-214
  • JIMERSON, Randall C. Arquivos para todos: a importância dos arquivos na sociedade. Arquivo & Administração. v. 7, n. 2, Rio de Janeiro, jul/dez, 2008.
  • LE GOFF, Jacques. História e Memória. Campinas: Editora da UNICAMP, 1996.
  • SILVA, M. A. de O. Plutarco historiador. Análise das biografias espartanas. São Paulo: EDUSP, 2006.

Clique aqui e faça a sua inscrição