Usos e possibilidades de documentos no ensino de história.

Código M03

Responsável pelo Minicurso:
Hilton Meliande de Oliveira (Professor Doutor Cap-UERJ)
Larissa Costard (Professora Doutora Cap-UERJ)
Leonardo Padilha (Professor Doutora Cap-UERJ)

Objetivos do Minicurso:
O Ensino de História, suas reflexões, questionamentos e práticas nas últimas décadas, abarcam cada vez mais e com maior vigor, espaços acadêmicos e docentes. Desta forma, discutir e trabalhar as possibilidades dos usos dos documentos e sua relação com o Ensino de História, despontam como espaço para a reflexão e a ação docente integrando saberes e práticas. Seguindo a concepção utilizada por Circe Bittencourt, de que os documentos englobam os mais variados registros realizados pelas sociedades com o passar dos tempos, sua utilização, amplia, traz novas dimensões e questionamentos para a compreensão e entendimento do processo histórico. (Bittencourt, 2011, 353) Sendo assim, o Minicurso em questão, pretende trabalhar com três possibilidades de usos de documentos em sala de aula e sua discussão histórica.

Planejamento das aulas no Minicurso:

1° Encontro: O Rock dos anos 80 no Brasil e suas dimensões político-sociais.
No primeiro encontro, a proposta de trabalho será a relação entre Música e História abordando a década de 1980, importante momento de redemocratização política para o Brasil, em que o gênero musical a ser abordado apresentava olhares e questionamentos que refletiam o ser, viver e pensar da época, o que aponta é claro para as dimensões político-sociais de nosso país, com seus dilemas e esperanças. Assim, a partir da apresentação e discussões de determinadas músicas do Rock nacional, abordaremos a década em questão.

2° Encontro: O Totalitarismo em Cena.
No segundo encontro, a proposta de trabalho será a relação entre a iconografia cinematográfica e a História. Nesse aporte, buscará trabalhar a concepção de Totalitarismo a partir de três películas: “A Língua das Mariposas”, que se passa no momento de Guerra Civil espanhola e a ascensão de Franco na Espanha. O documentário “Arquitetura da Destruição”, que abarca a ascensão e o desencadear do pensamento Nazista antes e durante a Segunda Guerra Mundial e por fim, “A Outra História Americana”, que trata da visão dos movimentos Neonazista nos EUA, na década de 1990. O tema apresenta-se ativo e pertinente à todos os momentos e discussões e encontra espaço frente ao cenário político mundial atual.

3° Encontro:Escrito por elas: mulheres e revolução em 1917.
O terceiro encontro será construído sobre o tripé História, biografia e gênero, e trabalhará com uma seleção de fontes escritas por mulheres que estiveram na linha de frente da luta política na Rússia, em princípios do século XX. Tendo como mote os 100 anos da Revolução de 1917, a proposta é tentar reconstruir, a partir dos documentos selecionados, a experiência da mulher na Rússia, suas estratégias de organização política como trabalhadoras e como mulheres, e sua efetiva participação no processo revolucionário.

Metodologia:
Cada encontro será de duas horas, que contemplarão a discussão teórica e a prática de atividades que serão propostas, ou seja, a cada encontro uma oficina será realizada para que a relação teoria e prática seja demonstrada.

Bibliografia:

  • BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política. Tradução de Sérgio P. Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1987.
  • BITTENCOURT, C. (org.). O saber histórico na sala de aula. São Paulo: Contexto, 1997.
  • _______. Ensino de História: fundamentos e métodos. São Paulo: Cortez, 2011.
  • CARDOSO, Ciro Flamarion, VAINFAS, Ronaldo (orgs.). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de janeiro: Elsevier, 1997.
  • CHARTIER, R. O mundo como representação. Estudos Avançados. São Paulo: Universidade de São Paulo, v. 5, n. 11, p. 170-185, 1991.
  • FERRO, Marc. Cinema e história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.
  • FONSECA, S. G. Didática e prática de ensino de história. Campinas: Papirus, 2003.
  • GOLDMAN, Wendy. Mulher, Estado e Revolução. Política da família soviética e da vida social entre 1917 e 1936. São Paulo: Boitempo, 2014.
  • KOSSOY, Boris. A fotografia como fonte histórica: introdução à pesquisa e interpretação das imagens do passado. São Paulo: Museu da Indústria, Comércio e Tecnologia de São Paulo, 1980. _______. Fotografia & História. 2ª ed. São Paulo: Ateliê Editorial, 2001.
  • MAUAD, Ana Maria. Através da Imagem fotográfica: fotografia e história interfaces. Tempo, Rio de Janeiro, v. 1, n. 2, p. 73-98, dez. 1996.
  • MURPHY, Kevin. “A História da Revolução Russa de fevereiro de 1917”. In: Revista Outubro, n.28, abril de 2017. Disponível em http://outubrorevista.com.br/wp-content/uploads/2017/04/08_Murphy_2017.pdf
  • _______, Kevin. “O movimento grevista pré-revolucionário na Rússia (1912-1917)”. In: Revista Outubro, n.21, abril de 2013. Disponível em http://outubrorevista.com.br/wp-content/uploads/2013/02/out21_04.pdf
  • _______, Kevin. “Podemos escrever a História da Revolução Russa? Uma resposta tardia a Eric Hobsbawn”. In: Revista Outubro, n.21, janeiro de 2008. http://outubrorevista.com.br/wp-content/uploads/2015/02/Revista-Outubro-Edic%CC%A7a%CC%83o-17-Artigo-02.pdf
  • NAPOLITANO, M. Como usar o cinema na sala de aula. 5. ed. São Paulo: Contexto, 2011.
  • _______. História & Música: história cultural da música popular. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.
  • PINSKY, C. B. (org.). Novos temas nas aulas de História. São Paulo: Contexto, 2010.
  • PEREIRA, Lara Rodrigues. Ensino de História e narrativas cinematográficas subsidiando consciências históricas. UDESC 2012.
  • _________Abordagem didática do uso do cinema em sala de aula. UDESC 2012.
  • PESAVENTO, Sandra Jathay. História e História Cultural. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.
  • RANZI, Serlei Maria Fischer. Cinema e aprendizagem em História. História e Ensino, 1998
  • SCHNEIDER, Graziela (org). A Revolução das Mulheres. Emancipação Feminina na Rússia Soviética. São Paulo: Boitempo, 2017.

Clique aqui e faça a sua inscrição