As dimensões do riso: o uso de charges e caricaturas na pesquisa histórica

Código M01

Responsável pelo Minicurso:
Arnaldo Lucas Pires Junior (Doutorando – UFRJ)

Objetivos do Minicurso:
O objetivo deste minicurso é apresentar algumas dimensões possíveis para a abordagem do riso enquanto fenômeno histórico, tendo como suporte escolhido a análise de charges e caricaturas. Ao longo das aulas, os alunos serão apresentados às diferentes dimensões do desenho caricatural, às diversas metodologias de análise possíveis para a abordagem destes vestígios históricos e, principalmente, aos cuidados teóricos que precisam ser levados em conta para a historicização do riso e da piada enquanto instrumentos da pesquisa histórica.

Planejamento das aulas no Minicurso:

Aula 1- O riso enquanto fenômeno histórico/filosófico
Neste primeiro encontro abordaremos o riso a partir de seu ponto de vista histórico e filosófico. Apresentaremos alguns pontos centrais para a compreensão do riso enquanto fenômeno histórico e serão discutidas questões sobre seus limites teóricos e metodológicos, bem como a dificuldade intrínseca da empreitada de utilização do riso enquanto instrumento de pesquisa historiográfica:

Problemáticas abordadas nessa aula:

  • É possível uma história do riso?
  • Existem características historicizantes no riso?
  • Diga-me do que ri e eu te direi quem é?
  • Quais as grandes vantagens e dificuldades para o riso enquanto fenômeno histórico?

Aula 2- A caricatura, da crítica de costumes à deformação das formas
Neste encontro discutiremos diretamente as estratégias para a análise de imagens caricaturais e metodologias para sua utilização na pesquisa histórica. Buscaremos analisar a trajetória histórica do desenho caricatural e sua dupla colocação enquanto arte e crítica social. Por fim, incitaremos os alunos à importância da compreensão da caricatura enquanto fonte histórica, parcial, intencionada e, portanto, historicizável.

Problemáticas abordadas nessa aula:

  • O que define a caricatura?
  • Seria a caricatura uma arte histórica?
  • Como abordar e interpretar as imagens caricaturais?
  • O que o riso caricatural pode nos dizer sobre um tempo histórico?

Aula 3- A história da caricatura no Brasil: um estudo de caso
Neste último encontro trataremos de estudos de caso de maneira direta, abordando a história da caricatura no Brasil, desde sua origem até os dias atuais e trazendo exemplos para serem analisados em sala, em conjunto com os alunos. Também estimularemos os alunos a trazer relatos de suas experiências de pesquisa, utilizando-as como exemplos de aplicações possíveis das metodologias de análise apresentadas nas aulas anteriores.

Problemáticas abordadas nessa aula:

  • O que define a caricatura?
  • Seria a caricatura uma arte histórica?
  • Como abordar e interpretar as imagens caricaturais?
  • O que o riso caricatural pode nos dizer sobre um tempo histórico?

Metodologia:
O curso será composto de exposições dialogadas entre o professor e os alunos. Como se trata de uma temática diretamente dependente de suportes visuais, durante todo o curso serão apresentadas imagens caricaturais capazes de ilustrar os argumentos apresentados. A ideia principal é desenvolver uma relação dialógica capaz de não somente servir à exposição mais objetiva dos conteúdos, como também apresentar as infinitas possibilidades existentes para a utilização das caricaturas no fazer histórico.

Bibliografia:

  • BAUDELAIRE, Charles. De l’essence du rire et généralement du comique dans les arts plastiques. In: BAUDELAIRE, Charles. Œuvrescomplètes. Paris: Gallimard, 1975.
  • BERGER, John. Ways of seeing. London: Penguin Books, 1990.
  • BERGSON, Henri. O riso: ensaio sobre a significação do cômico. Rio de Janeiro: Zahar, 1980.
  • BURKE, Peter. Testemunha ocular: História e imagem. Bauru: Edusc, 2004.
  • FREEDBERG, David. El Poder de las imágenes: estudios sobre la historia y la teoría de la respuesta. Madrid: Catedra, 1992.
  • GIRAUDOUX, Jean. Sur la caricature. Les Nouvelles littéraires, 1932.
  • GOMEZ, Alvaro. Osuna de frente. Bogotá: El Ancora Editores, 1983.
  • LE GOFF, Jacques. Une enquête sur le rire. Annales. Histoire, Sciences Sociales, v. 52, n. 3, p. 449-455, 1997.
  • LIMA, Herman. História da caricatura no Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1963.
  • LUSTOSA, Isabel. Imprensa, humor e caricaturas: A questão dos estereótipos culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2011;
  • MARINGONI, Gilberto. Angelo Agostini: A imprensa ilustrada da Corte à Capital Federal (1864-1910). São Paulo: Devir, 2011;
  • MENEZES, Ulpiano Toledo Bezerra de. História e imagem: iconografia/iconologia e além. In: CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo. (Org.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012. p. 243-262.
  • MINOIS, George. História do riso e do escárnio. São Paulo: Unesp, 2003.
  • PANOFSKY, Erwin. Estudos de iconologia. Lisboa: Editorial Estampa, 1986.
  • PANOFSKY, Erwin. O significado nas artes visuais. São Paulo: Perspectiva, 1976.
  • TEIXEIRA, Luiz Guilherme Sodré. Sentidos do humor, trapaças da razão: a charge. Rio de Janeiro: Fundação Casa de Rui Barbosa, 2005.

Clique aqui e faça a sua inscrição